Resenha: MAIS QUE AMIGOS de Barbara Delinsky


Mais do que vizinhos de porta, os Maxwells e os Popes são duas famílias cujas vidas estão profundamente entrelaçadas: as mulheres foram colegas de quarto na universidade, seus maridos são parceiros no mesmo escritório de advocacia e os filhos cresceram juntos, partilhando férias e feriados. Mas, quando suas vidas são abaladas por uma tragédia que nunca poderá ser apagada ou esquecida, a confiança de uns nos outros e, por que não, em si mesmos é posta em xeque. Michael, de 13 anos, filho dos Maxwells, assiste a mãe e Sam Pope fazendo amor e, ao fugir dessa cena angustiante, é atropelado por um furgão, entrando em coma profundo. Para piorar a culpa da mãe de Michael, o motorista do furgão é Grady Piper, seu namorado de adolescência. "Mais Que Amigos" é uma história que toca todas as pessoas, englobando as paixões universais que a vida tem a oferecer e mostrando que o acaso e a fragilidade são inerentes a nós.
Li este livro por indicação da Lili, Li este livro por indicação da minha professora do SAT, pena que não tinha em ingles. E então embarquei nesta história que me deu deixou extremamente extenuada com a quantidade de emoções que tive durante a sua leitura. É uma história que nos prende do começo ao fim, nos enredando nos dramas das personagens. Estes dramas que estão guardados nos corações dessas personagens, somente vêm à luz, quando Michael encontra sua mãe Teke, transando com Sam, vizinho amigo da família. Em decorrência desse flagrante, Michael é atropelado por Glady, ex-namorado de sua mãe, e entra em coma.

Temos então o início dos dramas que afloram, pois Teke, seu marido J.D., Sam e sua mulher Annie, terão que reavaliar suas amizades, seus casamentos, o amor, a confiança, etc. As estruturas que mantiveram estes dois casais amigos desde a faculdade são abaladas com a traição, e sentimentos como o egoísmo, a intolerância, a mesquinhez, o ciúme, etc. são trazidos a tona de uma forma avalassadora e que não permite serem ignorados.

No meio de tantos sentimentos conflitantes e situações constrangedoras, as personagens enfrentam seus medos, e como lidar com o perdão.
Gostei muito deste livro, pois me despertou uma grande questão que ainda não consegui responder: O AMOR PERDOA TUDO?

0 comentários: